[RESENHA] Um Beijo Inesquecível – Os Bridgertons #7, de Julia Quinn

Sou um pouco suspeita para falar sobre os livros de Julia Quinn, pois acho que já deixei bem claro a vocês o meu fascínio pelo trabalho dessa escritora. No entanto, o meu sentimento quando terminei a leitura de “Um Beijo Inesquecível” foi de descrença.

capa Um beijo inesquecivel_15mm.indd
Romance de Época|| Um Beijo Inesquecível|| Julia Quinn|| Editora: Arqueiro|| Páginas: 272|| Classificação: 4/5

Sinopse: Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro… e que não há nada de tão simples e de tão complicado quanto um beijo.

Hyacinth é uma jovem de humor mordaz e indomável. Filha caçula de Violet Bridgerton, ela já passou por numerosos bailes das temporadas da sociedade londrina, mas até o momento não recebeu nenhuma proposta de casamento que pudesse ser levada a sério, nem mesmo após o seu irmão aumentar o dote. Porém, isso não a deixava nem um pouco preocupada, pois só de imaginar em ter um casamento por conveniência com algum palermo que não entenderia seu senso de humor a tranquilizava sobre sua situação. Mas quando ela conhece o neto de Lady Danbury, a mulher com a língua mais ferina de Londres, o pensamento dela começa a mudar…

“- Não sei como você faz isso, Hyacinth… Apesar de ser irritante, sempre consegue ser encantadora.”

Gareth, é o herdeiro de um baronete e neto querido de Lady Danbury, mas desde muito pequeno conheceu o desprezo do seu pai e isso gerava muitas perguntas, como o porquê daquele homem odiá-lo tanto. Disposto a não pedir ajuda do homem que o odeia, ele vive com o mínimo para ser considerado alguém pertencente a alta sociedade. Mas ao menos ele tinha o apoio de sua avó, uma mulher de força extraordinária, o que ele não imaginava era que ao tender uma solicitação dela fosse ter a oportunidade de conhecer a jovem Hyacinth Bridgerton, uma mulher terrivelmente linda e encantadora…

“Gareth não conteve um sorriso. Jamais conhecera alguém como Hyacinth Bridgerton. Era vagamente divertida, vagamente irritante, mas não se podia deixar de admirar quanto era espirituosa.”

Continuar lendo

[RESENHA] Sr. Daniels , de Brittainy C. Cherry

Hello people!

Não sei se alguma vez falei a vocês da minha paixão por new adults. Sim, eu gosto desse gênero de romance. E me deparar mais uma vez com um romance arrebatador de Cherry só me deixou mais encantada pelo gênero…

sr-daniels
Romance Contemporâneo|| Sr. Daniels|| Editora: Record|| Páginas: 322|| Classificação: 5/5

Sinopse: Depois de perder a irmã gêmea para a leucemia, Ashlyn Jennings vê sua vida mudar completamente. Além de ter de aprender a conviver sem parte de si mesma, ela precisa se adaptar a uma nova rotina. Enviada pela mãe para a casa do pai, com quem mal conviveu até então, ela viaja de trem para Edgewood, Wisconsin, carregando poucos pertences, muitas lembranças e uma caixa misteriosa deixada pela irmã. Na estação de trem Ashlyn conhece o músico Daniel, um rapaz lindo e gentil, e a atração é imediata. Os dois compartilham não só o amor pela música e por William Shakespeare mas também a dor provocada por perdas irreparáveis. Ao sentir-se esperançosa quanto a sua nova vida, Ashlyn começa o ano letivo na escola onde o pai é diretor. E não consegue acreditar quando descobre, no primeiro dia de aula, que Daniel, o belo músico de olhos azuis com quem já está completamente envolvida, é o Sr. Daniels, seu professor de inglês. Desorientados, eles precisam manter seu amor em segredo, e são forçados a se ver como dois desconhecidos na escola. E, como se isso já não fosse difícil o bastante, eles ainda precisam tentar de todas as formas superar os antigos problemas e sobreviver a novos e inesperados conflitos.

Após perder sua irmã gêmea para a leucemia, Ashlyn não sabe mais o sentido de viver. A relação com a mãe já não era a das melhores, mas agora está bem pior! Em meio a tudo isso ela ainda se vê obrigada a ter que passar uma temporada com o pai. Diante disso, ela se sente sozinha e desamparada! Durante a viagem ela se encanta por um rapaz de profundos olhos azuis, a impressão que ela tem é que ele pode ver sua alma. Ela não entende muito bem o que sente, pois no momento ela só pensa em chorar desesperadamente. 😦

“Havia dois tipos de luto. Aquele em que a pessoa abria seu coração para o mundo, sem deixar de dar valor às coisas, e vivia cada dia como se fosse o último. E aquele em que a pessoa se fechava e vivia em seu próprio mundo, incapaz de se conectar com os outros.

Eu definitivamente não tinha escolhido a primeira opção.”

Tudo se mostra exatamente como Ashlyn imaginava. Seu pai não sabe lidar com ela e a sua madrasta se mostra uma religiosa fervorosa. Mas nem tudo é tão ruim assim. Os filhos de sua madrasta são jovens adoráveis e logo Ashlyn se ver profundamente encantada por eles. Entretanto ela não conseguia esquecer o rapaz dos olhos azuis. É quando Ashlyn decide ir ao lugar onde ela pode encontrá-lo. Ela só não esperava perceber que a atração deles é quase palpável. Daniel Daniels, é esse o nome dele. Para sua surpresa, o rapaz que a encantou com sua música e sua paixão por Shakespeare, seria seu professor de inglês. Agora além de lidar com a perda da irmã, Ashlyn se vê tendo que esconder seus sentimentos pelo seu professor.

fotor_148569797175664

Continuar lendo

[Entrevista] Papo Literário com a escritora Gisele Souza

Olá, amores! Tudo joia?

Hoje trago para vocês mais um daqueles papos gostosos. E hoje vamos conhecer um pouquinho mais sobre a escritora Gisele Souza, autora da série Inspiração, dos romances Pecaminoso, Era Você, Momentos, da trilogia Deuses e de tantos outros que vocês necessitam conhecer 😉 Só posso dizer a vocês que estou é morta com essa entrevista. ❤

16215632_1074579419334565_949877754_n

“Gisele Souza é uma taurina teimosa, sonhadora, fascinada pela vida e apaixonada por sua família. Romântica incurável, encantou-se pelos livros aos quatorze anos. Começou sua carreira em 2013, tornando-se best-seller na Amazon com a série “Inspiração”. Desde então não parou mais. Com um gosto literário bem eclético, sonha em escrever histórias de vários gêneros, colocando no papel o seu amor pela escrita. Nascida em Volta Redonda, interior do Rio de Janeiro, leva uma vida simples ao lado do marido e filho.” Texto extraído da Editora Charme

L.C. Gisele, primeiramente nos fale um pouco sobre você.

G.S. Olá, queria agradecer pela oportunidade e o carinho.

Sou uma pessoa simples, com gostos simples. Sou casada há 9 anos, tenho um filho de 7 e levo uma vida tranquila. Tenho sonhos e objetivos. Sou teimosa e orgulhosa. Isso atrapalhou bastante a minha vida ao longo dos anos, mas estou aprendendo a contornar esse defeito da minha personalidade. Não tenho muitos amigos, mas os que conquistei são importantes demais. Adoro ler, ir ao cinema e passar o dia maratonando na Netflix. Odeio matemática e amo biologia e história. Adoro pizza e não sou nada fitness. Meu sonho de consumo é conhecer a Grécia.

L.C. Qual o livro mais marcante que você leu até hoje?

G.S. Difícil escolher um só, mas o que me deixou com os olhos inchados por um dia inteiro foi o da Raiza Varella. Caçadora de Estrelas.

L.C. Em que momento de sua vida você decidiu que escreveria a trilogia “Deuses”?

G.S. Desde que comecei eu queria escrever algo relacionado a fantasia, deuses, imortais… A história que eu tinha criado não era legal e eu resolvi mudar. Continuei com a ideia do deus grego, Apolo, se apaixonando por uma mortal, mas precisava de um toque diferente. Foi quando eu fiz dele o Deus do Rock. E depois que finalizei o livro mexi na história quatro vezes até que chegasse a edição nova que ele está hoje. Escrever fantasia é muito complicado e como eu amo esse gênero tentei até conseguir dar o meu melhor.

L.C. Escrever sempre foi natural para você. Ou você teve que se esforçar bastante para transpor a sua imaginação ao papel?

G.S. Nunca tinha pensado em escrever um livro em si, mas sempre escrevi poemas, cartas de amor… até um roteiro para um filme uma vez eu escrevi na 6ª série (pensando bem agora o roteiro se parece muito com Amor Elástico, o primeiro livro que escrevi). Mas quando resolvi escrever profissionalmente foi algo natural ❤

Continuar lendo

[RESENHA] O Ar Que Ele Respira – Elementos #1, de Brittainy C. Cherry

Devo confessar a vocês que sou dessas leitoras que quando me envolvo completamente com uma estória, sinto vontade de entrar no livro, de dar conselhos, de conversar, de dar umas tapas em um ou mais personagens. E com o romance “O Ar que ele Respira” não foi diferente. Vocês já vão saber o porquê.

download
Romance Contemporâneo|| O Ar que ele Respira|| Editora: Record|| Páginas: 308|| Classificação: 5/5 ❤ Favoritado

Sinopse: Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

O Ar que ele Respira é o primeiro volume da série Elementos. Até o momento a saga promete três livros, cada um narrando a história de um casal diferente.

Elizabeth mesmo com sua dor, tenta retomar sua vida da melhor maneira, principalmente, pela Emma, sua filha de 5 anos, mas não está sendo fácil viver sem seu grande amor ao seu lado. Quando finalmente decide retornar para sua casa em Meadows Creek, aquela que já foi o lar de uma família feliz e amorosa, ela tenta lidar com as lembranças de seu marido da melhor maneira possível. Mas não tem sido uma tarefa fácil. Além de tudo isso, Liz ainda vai ser obrigada a enfrentar outro problema: o vizinho Tristan Cole: o esquisito da cidade.

Tristan é um homem solitário e frio. Descuidado com sua aparência, não se importa nem um pouco com as fofocas da cidade a seu respeito. Muito menos em ser educado com qualquer pessoa que seja, o que faz com que ele seja considerado pela vizinhança como um homem perigoso. Seu primeiro contato com Lizzie não será nem um pouco agradável. Mas o que percebemos é que Tristan usa uma casca para esconder seus verdadeiros sentimentos e, principalmente, afastar as pessoas.

“Mesmo quando o coração está em pedaços, ainda resta uma esperança quando se lê um romance. Ao virar as páginas, eu pensava que, um dia, tudo ficaria bem novamente. Eu tinha esperança de que esse dia chegaria logo.”

fotor_148434165251089

Continuar lendo

Músicas para ouvir lendo o livro – Uma Curva no Tempo

images

Eitcha, olha quem voltou com dicas quentinhas! ❤

A história da Rachel é surpreendente, mas, como resenha é com a Malu, deixo a ela essa parte. rs

Meu papo é música, e vou deixar uma playlist bem legal para vocês se deliciarem lendo esse livro maravilhoso.

1 – Jack Johnson- Sitting, Waiting, Wishing

2-Alessia Cara – How Far I’ll Go

3 –Lukas Graham- Better Than Yourself

4- Rubel – Quando bate aquela saudade

5 – Rhye -Open

6- Ben Howard -Only Love

7- James Blunt- Goodbye My Lover

Essas foram as escolhidas de hoje, espero que gostem ❤

Tati Cardoso  ❤

[Top 5] Os mais mais de 2016

15941632_1065530003572840_2081770281_n

Bom, sei que estou um pouco atrasada com essa minha lista, hehehe! Mas resolvi compartilhar com vocês as minhas leituras mais gostosas e fofas de 2016. Àquelas leituras que me tocaram de um jeito especial e profundo. Bem, confesso a vocês que em 2016  li poucos livros e isso me deixou bem triste. Porém posso afirmar que foi um ano que li tantos livros bons, que ficou bem difícil eleger somente 5 ❤

download Gente, o que falar sobre esse romance? Bem, vai ser complicado colocar em palavras tudo o que eu senti no decorrer da leitura deste livro. Acho que já falei em algum momento para vocês que sou do signo de câncer e por esse motivo sou muito emotiva. E confesso a vocês que chorei lendo esse romance, sim! Chorei igual a um bebê, pois a narrativa de Brittainy C. Cherry tocou minha alma, mexeu profundamente com meu emocional. ❤ A narrativa da autora é única, pois ela consegue nos fazer enxergar a importância do perdão, da superação e do amor – que pode curar a mais profunda ferida! O romance “O ar que ele Respira” foi o primeiro romance da escritora que eu li e já posso dizer, sem sombras de dúvidas, que virei sua fã. ❤ Pois como eu disse anteriormente, a narrativa dela conversou com a minha alma.  (Em breve resenha completa!)

A_GAROTA_QUE_VOCE_DEIXOU_PARA_TRAS_1387072752B Bem, acho que não é segredo nenhum para vocês o meu amor pela Jojo Moyes ❤ Mas dentre os romances dela que li no ano de 2016, “A Garota que Você Deixou para Trás” foi o que mais mexeu comigo. O romance me tocou profundamente!

“Em primeiro lugar informo a vocês que me apaixonei pela personagem Sophie. Me apaixonei pela sua coragem e pela força que ela demonstrou ao longo da narrativa. Os momentos difíceis que enfrenta nas mãos dos alemães, as situações humilhantes a que ela se sujeita para ter o marido de volta. Jojo Moyes criou Sophie de uma tal forma que às vezes é até difícil entender que ela não é real.” RESENHA COMPLETA

Continuar lendo